Tratamento do hálux valgo pela osteotomia de Mitchell biplana: apresentação de técnica

  • Rui Barroco1
  • Marina Monteiro
  • Leticia Diedrichs
  • João Machado3
  • Fábio Cemin
  • Renan Mombach
  • Oswaldo Nascimento
  • Silvia Jorge
Palavras-chave: Hallux valgus; Osteotomia; Estudos de avaliação

Resumo

Objetivo: Apresentar a modificação do plano da osteotomia de Mitchell no tratamento do hálux valgo de intensidade moderada, com uso de fixação rígida com parafuso do tipo Herbert canulado. Métodos: Foram operados 12 pacientes, sendo 7 do gênero feminino, com idades variando entre 51 e 80 anos e média de 62,8 anos, e com queixa de dor incapacitante na proeminência medial do primeiro metatarsal, assim como deformidade clínica e dificuldade para calçar sapatos. Todos os pacientes já haviam sido tratados com medidas antiálgicas, como fisioterapia, crioterapia, órteses e calçados com câmera anterior larga, sem sucesso. Os critérios de exclusão foram pacientes previamente operados, hálux valgo leve e grave. O tempo de acompanhamento dos pacientes variou de 17 a 27 meses, com média de 22,5 meses. Resultados: Observou-se a diminuição média do ângulo intermetatarsal em 6,3o, do ângulo de valgismo do hálux em 16,4o, e do ângulo articular distal metatarsal em 4,5o. O comprimento relativo I-II metatarsal diminuiu em média 2,6mm, e o desvio sesamoideo diminuiu, em média, 1o. Não houve perda da redução na avaliação radiográfica dos referidos ângulos, pseudoartrose ou necrose da cabeça do I metatarsal em nenhum paciente, e as queixas previamente existentes foram sanadas em todos os casos. Obtive-se uma melhora no critério da American Orthopaedic Foot and Ankle Society para hálux, de 57,7 para 91,5. Conclusão: A modificação da técnica de Mitchell, por meio de dupla osteotomia semelhante à osteotomia de Chevron, ao invés das duas osteotomias paralelas da versão original, aliada à rígida fixação com parafuso do tipo Herbert canulado, permite maior estabilidade do foco em relação à fixação com fio de aço. A modificação da técnica, com o parafuso e os dois planos, sugere menor risco de pseudoartrose, além de impedir a perda do deslocamento lateral da cabeça metatarsal. Acredita-se que essa é uma opção segura e adequada para o tratamento do hálux valgo moderado.
Publicado
31-12-2012
Seção
Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##